Leis da Gestalt #1: Unidade

, Design Gráfico

Iremos falar hoje sobre um assunto de grande importância no design: Gestalt. Particularmente sobre uma de suas leis: a unidade. Se você chegou nesse artigo agora, recomendo ler o artigo anterior aqui.

 

Unidade

Normalmente percebemos a unidade por meio das relações entre a configuração do objeto ou em partes desse objeto. Percebemos por meio de pontos, linhas, planos, volumes, cores, sombras, brilhos, texturas e outros atributos sejam isolados ou combinados entre si. Geralmente para análise da unidade dos objetos elegemos algumas unidades principais que sejam suficientes para realizar a leitura.

Agora daremos exemplos:

 

Esses objetos acima apresentam unidades que se encerram em si mesmas, em um único elemento. A primeira é constituída por um círculo colorido e a segunda por uma linha contínua configurada como uma letra U.

No logotipo acima o objeto se constitui por quatro unidades: o fundo e cada uma das letras ou por duas unidades principais: o fundo mais a palavra “GAP”.

A foto acima é formada por uma única unidade, a flor, porém como conjunto, no entanto podemos considerar cada pétala como uma unidade particular também.

 

Unidade x Unificação

Adiantando um pouco do que iremos ver nos próximos posts das Leis da Gestalt, temos que entender a diferença entre dois conceitos: unidade e unificação. Podemos trabalhar a unificação (que envolve outras duas leis: proximidade e semelhança) ao posicionar várias unidades parecidas ou idênticas, e que seguem um padrão. Nós tendemos a agrupá-las, formando um único elemento. Como você pode perceber na imagem abaixo.

Repare que você “lê” cada uma das imagens de uma forma diferente. Na esquerda, ao ver os 9 círculos idênticos agrupados, seu cérebro processa a imagem e cria uma unidade maior: o quadrado como um único elemento. Já à direita, devido a mudança de cores, você faz a unificação em 3 grupos de três unidades, que juntos também formam exatamente o mesmo quadrado, porém com menor unificação.

Estamos vendo nesse artigo, como um objeto é estruturado e o porque determinadas formas agradam mais do que outras. Todos esses conceitos nos darão bagagem para estruturarmos nosso trabalho de uma maneira que possa agradar mais as pessoas, nossos clientes e principalmente a nós mesmos. Entender a lógica do entendimento do objeto é peça chave para o aprimoramento de um profissional que deseja crescer.

Na próxima semana iremos estudar a Lei da Segregação.

Alguma dúvida, sugestão ou crítica? Deixe nos comentários. Sua interação é muito bom para o nosso crescimento. Até semana que vem!

Comente pelo Facebook