Vantablack é a tinta mais escura que existe

, Product Design

No design gráfico, ao utilizamos a cor preta, utilizamos 100% de “K” na escala CMYK. Se quisermos um preto ainda mais preto, podemos através de um simples recurso gráfico adicionar um pouco de ciano na composição. Obteremos algo como 30/0/0/100. O resultado na impressão é um preto ainda mais escuro.

Em busca de uma cor ainda mais escura, cientistas britânicos desenvolveram uma nova tinta, chamada de Vantablack. Essa “cor” pode facilmente ser considerada a mais escura já produzida pela humanidade. Também disponível em versão em spray, a Vantablack é tão preta que faz com que objetos tridimensionais aparentem ter sido recortados em um software de edição de imagens. O segredo para o efeito está na capacidade do material de absorver luz: 99,8% dos raios visíveis acabam retidos.

 

 

Ao olhar as fotos que os pesquisadores têm exibido, você sempre vê uma espécie de “buraco”, cujo tamanho obedece os contornos das formas tridimensionais. No entanto, somos capazes de reconhecer apenas o formato, e não toda a complexidade do objeto coberto pela tinta.

 

 

Como a Vantablack funciona?

Nossos olhos dependem da quantidade de luz refletida para enxergar um objeto. As superfícies cobertas pela Vantablack são tão escuras que simplesmente não refletem o mínimo de luz necessário para que o cérebro interprete a imagem criada.

A explicação para o fenômeno está na estrutura nanoscópica da tinta. Quando envolve um objeto, ela cria uma camada de milhões de nanotubos de carbono. Eles são estruturas muito pequenas, com 20 nanômetros de diâmetro e comprimento entre 14 e 50 micrômetros, e estão organizadas de modo a criar “armadilhas” para absorver a luz.

Quando os raios atingem o material, acabam sendo isolados nos vãos entre os nanotubos, o que bloqueia quase toda a luz incidente. “Para entender o efeito, tente se imaginar andando em uma floresta em que as árvores tem 3 km de tamanho, ao invés dos 10 ou 20 metros usuais. É fácil ter uma ideia da quantidade de luz que chegaria até você – quase nenhuma”, explicam os pesquisadores da Surrey Nanosystems, nessa lista de perguntas frequentes.

 

 

O grupo deixa claro também a inviabilidade da aplicação da invenção em métodos, digamos, menos nobres. Isso quer dizer que você não conseguirá usar a tinta mais escura do mundo no seu carro, ou para fazer para si uma roupa tipo a do Batman. O contato direto com a pele não é recomendado e o preço disso seria bastante caro. No entanto, amostras já estão disponibilizadas em universidades ou museus.

No vídeo abaixo, objetos revestidos pela tinta Vantablack são iluminados e comparados com outros materiais. É assustador perceber como essa tinta não reflete luz nenhuma.

 

 

Comente pelo Facebook