As diferenças entre Arte e Design

, Arte

Recentemente em nossa página no Facebook, fizemos uma série de posts com uma interpretação subjetiva que tentavam traduzir um pouco das diferenças entre arte e design. Essas colocações nunca tiveram a intenção de serem verdades absolutas, até porque não é possível dar a última palavra em áreas que fazem parte do mesmo universo. Inclusive, nós do 100% Design, nos posicionamos como um blog que traz conteúdo que soma arte + design, buscando traduzir que as duas áreas se completam e que juntas são mais ricas de valor e significados.

design-nao-e-arte-1
No entanto é normal essa questão gerar dúvidas, afinal existem sim diferenças entre arte e design, e diversos nomes dessas áreas já se posicionaram de formas distintas sobre esse assunto. Foi aí que um de nossos leitores nos enviou um texto de sua autoria que explorava um pouco desse tema. Com autorização dele, reproduzimos o texto abaixo.

 

Design não é arte!

Há uma linha tênue entre esses dois campos da criatividade. Grande parte dessa confusão é fruto do fato de designers e artistas compartilharem muito conhecimento, e até mesmo pisarem em terras iguais. Até hoje é muito comum um designer ser chamado de artista, ou ter seus trabalhos estabelecidos como arte. Creio que a melhor maneira de encontrar essa linha seja definindo os objetivos e propósitos de cada uma.

Todo design é objetivo e tem um propósito. Antes de qualquer projeto de design, sério, é feito um briefing, uma pesquisa de campo, o público alvo é estudado, etc. Portanto desde o começo do projeto deve-se ter um objetivo final, algum lugar para se chegar. Não é apenas estética, ele tem uma função: resolver problemas. Ele precisa de uma justificativa para existir, um conceito. O design nasce de uma necessidade — a do cliente — , portanto o que dita o êxito de um projeto são seus resultados e eficiência.

Ele, o design, precisa estar baseado em toda uma estruturação e prever aplicações bastante coerentes. Essa é a proposta do design, que não está preocupado com a estética, mas com a função, com materiais, com a ergonomia visual, com aplicações planas e não planas. [1]

A arte é subjetiva, ela não está presa à estética ou a alguma função. Ela deve apenas existir, sem necessariamente precisar de uma justificativa. O artista deixa seus sentimentos ditarem sua arte, e não o cliente ou algum problema. Portanto, as coisas na arte têm seu valor por aquilo que são, e não pelas funções que exercem. Enquanto o design tem o objetivo de transmitir alguma ideia, a arte fica aberta a interpretações livres e pessoais. É muito comum, principalmente na arte abstrata, cada espectador ter uma interpretação e sentimento em relação aquela obra.

À vista disso, um designer não é um artista. Ele é:

“um profissional que é capacitado a identificar, planejar e projetar algo para solucionar um problema, segundo padrões e modelos preexistentes”. [2]

Ele deve se preocupar com uma série de coisas, sendo elas: a estética, a aplicação, a inovação, etc. Além disso ele deve atender uma expectativa externa, a do cliente, sendo assim seu gosto pessoal passa a ter um limite.

Já o artista não é um designer, creio que essa questão seja a mais óbvia. Partindo do pressuposto que a arte não precisa de uma justificativa, o que dita cada traço do artista são seus sentimentos. A arte é algo flui de seu interior e passa para material usado — seja ele um quadro, um bloco de madeira, uma pedra, etc. Ele não se preocupa com alguma opinião exterior, ele não deve concluir algum objetivo, deve apenas criar. Portanto essa criação é unicamente para se auto expressar.

Como disse no começo: há muitas pessoas que pisam no mesmo solo. Não posso negar que existam pessoas que são designers e artistas ao mesmo tempo, conheço inúmeros. Eles certamente estão um passo à frente dos outros, por poderem transferir conhecimento de uma área para outra. Mas mesmo assim essas duas áreas não deixam de ser distintas e terem finalidades diferentes.

Para finalizar, gostaria de deixar uma citação do designer Craig Elimeliah: “Não tenho a pretensão de ser um perito em definir o que é arte e o que não é, mas eu sei que, se olharmos para as diferenças entre arte e design, veremos uma linha muito tênue entre os dois. A um web designer se forem dadas as coordenadas exatas para posicionar diferentes pixels coloridos em lugares específicos, ele construirá um belo site de anúncios simplesmente seguindo as instruções; a maioria dos projetos de design tem um conjunto detalhado de instruções e o design é baseado em tendências e influências atuais. A um artista, por outro lado, nunca poderiam ser dadas quaisquer instruções específicas para a criação de uma nova obra, pois suas emoções e a alma estão a ditar o movimento de suas mãos e os impulsos para o uso do meio. Nenhum diretor de arte vai gritar com um artista para produzir algo completamente original porque é isso que um artista faz”.

Há inúmeras outras perguntas para serem respondidas, como a questão de artes sobre encomendas, se ilustradores são designers e por aí vai. Mas como disse, meu objetivo não é esgotar o assunto, consequentemente, espero que vocês pesquisem mais sobre a questão.

 

[1] Alexandre Wollner, Alexandre Wollner e a Formação do Design Moderno no Brasil

[2] Douglas Lucas, Design é arte?

 

Artigo escrito por Pablo Vinícius, parceiro do 100% Design.

Comente pelo Facebook