Pensar com Imagens

, Review

Quando “lemos” imagens, nossa mente coloca em ação um processo completamente diferente daquele da leitura de um texto. Imagens nos permitem obter diversos significados, e eles variam de acordo com cada pessoa. O designer trabalha diretamente com imagens e, portanto, deve entender como articular uma imagem para que o receptor, em sua visão de conjunto, interprete aquilo de forma correta, o que é fundamental para qualquer criador de imagens. Abaixo destacamos 4 modos dentre os muitos listados no livro de Enric Jardí, intitulado “Pensar com Imagens“.


Nesse livro, o designer gráfico espanhol fala sobre recursos técnicos, tais como o uso da cor, da estrutura, da forma, dos signos, mas também sobre o emprego de elementos da retórica visual, tais como a metáfora, a ironia, ou o eufemismo, e sobre a importância do estilo para a comunicação visual. São 60 imagens analisadas onde o autor nos oferece não apenas parte de seus conhecimentos, mas também o prazer de apreciar alguns exemplos magistrais de comunicação visual.

Cor (p.37)
A imagem acima era um cartão de ano novo a ser enviado por e-mail. Fazia votos de que 2010 fosse melhor do que 2009, que foi um ano de crise econômica.
Comunicar somente com cores é quase impossível, já que elas precisam estar contidas em uma forma. Porém nesta imagem a carga comunicativa repousa quase que inteiramente no aspecto cromático. A mensagem principal foi reduzida ao mínimo, um 2009 de cor escura e triste, se opõe a um 2010 claro e alegre.

Elipse (p.103)
A imagem acima acompanhou um artigo que falava sobre a crise econômica que se anunciava e ninguém queria ouvir falar.
Nesta ilustração, publicada em 2008, os seis pontos numerados insinuam uma forma que aparenta ser ainda mais dramática por estar apenas sugerida. Para representá-la em vez de escrever “crise”, aqui usamos um diagrama descendente que nem sequer possui textura de preenchimento. Entretanto as coisas não são tão simples, estamos usando outros elementos que apesar de parecerem irrelevantes são imprescindíveis para que a ideia funcione.

Hipérbole (p.89)
A imagem acima mostra a diferença de salário entre executivos. Nem sempre substituições que alteram o conteúdo de uma mensagem são conseguidos por meio da descontextualização das imagens. Às vezes, deformando apenas uma parte da imagem também obtemos o resultado desejado.

Metáfora (p.79)
A imagem acima serviu para fazer alusão a abertura da China ao consumismo ocidental. Uma metáfora, diferente da metonímia, é uma substituição de dois elementos que, a princípio, não tem relação com o contexto daquilo que substituem. A mistura de duas partes diferenciadas é uma maneira de gerar novos significados. Na imagem, a presença de um fragmento do logotipo de uma bebida conhecida sobre um cartaz que segue o estilo do realismo socialista, faz brotar um significado completamente novo.

O livro pode ser comprado pela Editora Gustavo Gili no valor de R$55.

Este post apareceu primeiro no 100% Design.

Comente pelo Facebook